Saiba a altura ideal para instalar o seu pendente ou lustre

Modernos ou clássicos, com luzes brancas ou amarelas, colocados em salas, quartos, cozinhas, halls de entrada e até mesmo lavabos, os lustres e pendentes devem completar a decoração do seu ambiente com elegância e também iluminar com eficiência.

Tenha em mente que modelos com flexibilidade de posicionamento permitem o ajuste da altura de acordo com as suas necessidades.

Além disso, a distância entre o topo do pendente e o teto deve ser de, no mínimo, 20 centímetros. Essa regra é válida para qualquer modelo de lustre ou pendente.

SALA DE JANTAR

Diâmetro: em uma sala de jantar, o diâmetro ideal da luminária é de, aproximadamente, um terço da largura da mesa. Por exemplo, se a mesa tem uma largura de 90 centímetros, o diâmetro do pendente deve ter em torno de 30 centímetros. Caso você queira um modelo com diâmetro menor, use mais unidades para compor o ambiente.

Altura do pendente em relação à mesa: a distância ideal entre o pendente e a mesa de jantar varia de 70 a 90 centímetros. Com essa altura a peça não bloqueia a visão de quem está sentado e não gera ofuscamento.

Altura do pendente em relação ao chão: também é possível considerar a medida entre a base da luminária e o piso, a qual deve ficar entre 140 cm e 150 cm.

SALA DE ESTAR

Altura do pendente em relação à mesa de centro: afim de que não haja um bloqueio visual para quem estiver sentado no sofá, deixe a cúpula a uma altura de 150 cm a 170 cm em relação ao tampo da mesa de centro.

Altura do pendente em relação à mesinha lateral/criado mudo: caso a instalação seja sobre mesinhas laterais, é suficiente deixar uma distância entre 30 cm e 50 cm.

COZINHA

Altura do pendente em relação à mesa: para a mesa da cozinha, as regras são as mesmas da sala de jantar. A distância ideal entre o pendente e a mesa de jantar varia de 70 a 90 centímetros.

Altura do pendente em relação à bancada de trabalho: o pendente deve ficar a uma distância de 2 metros – ou o mais alto possível – da superfície de uma bancada que comporta a cuba e o cooktop, com pessoas cozinhando em pé.

Altura do pendente em relação à bancada de refeição: já para a bancada de refeição, a altura do pendente deve variar entre 70 a 100 cm em relação à superfície, evitando assim que se bloqueie a visão das pessoas sentadas.

QUARTO

Altura do pendente em relação ao criado mudo: a vantagem de se usar pendentes ao invés de abajures é a liberação de espaço para livros, celulares e outros objetos. Para tal, o pendente deve ficar entre 30 a 50 cm de distância do criado mudo.

ÁREA SEM MÓVEIS

Caso deseje instalar o pendente em um local sem móveis, cabe usar o próprio chão como ponto de partida. Lembre-se de duas informações principais: o pendente deve ficar em uma altura a qual permita que as pessoas se locomovam no cômodo sem que esbarrem nele. Além disso, lembre-se que o pendente deve estar a uma distância de 20 centímetros do teto.

Para tal, se usarmos a média nacional da altura do pé-direito que é de 2,30 metros, é interessante colocar o pendente a uma altura de 2 metros a 2,10 metros do chão.

Arquitetos dão dicas para decorar ambientes com estilo

“Design é sinônimo de conforto”, “Utilize no máximo três cores” e “Invista no verde-esmeralda”. Estas são algumas das dicas de arquitetos.

A Etna reuniu em um evento arquitetos renomados, como Brunete Fraccaroli, Francisco Cálio e Sabrine Santos. Além de decorar o ambiente, cada arquiteto deu uma dica de decoração. Conheça as dicas e veja como cada uma delas aplicadas no ambiente. 

Brunete Fraccaroli, autora do Loft Azul e Vermelho, aposta na multiplicidade de móveis: “Procure explorar os ambientes de forma prática e integrada, como áreas para receber amigos e familiares de forma confortável, com sofás, poltronas e cadeiras diferentes, além de pufes e mesas de apoio. Utilize cores e combinações para alegrar e dar vida ao ambiente”. No seu ambiente (69 m²), predominam as duas cores básicas azul e vermelho. A cama baixa contrasta com o assento de apoio. Uma poltrona de madeira cria mais um espaço para sentar-se.

“Invista no verde-esmeralda, a cor que veio para ficar e trate com elegância qualquer espaço da sua casa.”, diz Anderson Scriboni, autor da sala de jantar Nobre Berilo (40 m²). Escolhido como cor do ano pela empresa Pantone, o tom ressalta os móveis brancos ou cor de algodão e linho crus da sala de jantar. A prateleira de livros ao fundo foi usada como armário de cozinha. Além de uma mesa de dez lugares, o espaço tem locais de descanso para a família dividir-se em grupos menores após o jantar.

Não tenha medo de misturar materiais e cores é o conselho das arquitetas Carolina Melo e Suzy Melo, autoras do Home Urbano. No living de 34 m², a dupla pratica o que prega, misturando tons sóbrios com objetos amarelos. “A estante de colmeia preta com uma simples pintura colorida ao fundo muda todo o contexto, gerando um resultado surpreendente e personalizado”, demonstram as arquitetas. Outra virtude do ambiente é ter múltiplos usos: o sofá ajuda a reunir os amigos, há uma pequena mesa para lanches e uma poltrona para leitura ou descanso. O espelho fumê torna o living mais sofisticado.

“Sempre utilize, no máximo, três cores”, diz o arquiteto Francisco Cálio, autor da sala de estar Asiático Moderno. O vermelhão marca o ambiente (33 m²), que também explora o amadeirado e cinza. Quadros com imagens urbanas na parede dão profundidade à sala de estar; já os móveis de madeira transmitem aconchego.

“Design é sinônimo de conforto”, diz Leonardo Junqueira, autor da Sala de estar confortável. A sensação de acolhimento da sala de 39 m² fica por conta dos tons de marrom e de algodão cru, da iluminação e dos móveis generosos. Inspirado nos lofts nova-iorquinos, esse ambiente incorpora espaço para almoçar. Ao fundo, uma estante cobre toda a parede e funciona tanto como estoque de objetos quanto mostruário. Substituir o abajur por pendentes de iluminação tornam o ambiente diferente; assim como usar um painel de espelhos acima da cabeceira da cama. A dica da arquiteta Veridiana Gonzaga foi aplicada no Loft Contemporâneo (64 m²), que ela ajudou a montar e é assinado pela arquiteta Sabrine Santos. Móveis de madeira e peças de fibra dão aconchego ao quarto do ambiente. O pendente que imita lâmpadas fluorescentes é feito, na verdade, de lâmpadas halógenas, que ajudam a revelar a cor dos objetos. Espelhos cobrindo toda a porta do armário trazem profundidade ao espaço.

Inscreva-se em nossa Newsletter

Compartilhe essa matéria com um amigo

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Este site foi desenvolvido com o intuito de abordar e valorizar o vasto mundo da arquitetura
com ênfase nas peculiaridades reunidas na cidade de Brasília.
Nos ajude a construir um site interessante e rico em conteúdo. Envie-nos suas dúvidas, críticas e sugestões.

Clique aqui e envie-nos uma mensagem